Meias e shorts de compressão nos esportes, resolve alguma coisa?

Todo corredor já ouviu, viu e, em muitos casos, até já usaram ou usam meias ou shorts de compressão.

Novidades sempre aparecem em todas as modalidades esportivas, às vezes, elas são boas mesmo, e em outros casos, não passam de puro marketing.

Uma coisa é fato, atletas que se preocupam com a performance, principalmente os profissionais que disputam provas e vivem disso, pagariam uma fortuna para melhorar talvez segundos ou até mesmo milésimos de segundos em seu desempenho.

As roupas de compressão surgiram como promessas de:

  • Melhorar o fluxo sanguíneo,
  • Obter uma maior absorção de oxigênio,
  • Recuperação mais rápida pós-treino
  • E até mesmo prevenção de lesões,

Bom, isso tudo é o que dizem os fabricantes.

Meias para atletas

E a ciência? O que tem a dizer sobre isso?

Vários estudos científicos sobre tecnologia de compressão não concluíram que houve diferença significativa entre o grupo com compressão e sem.

Um estudo abrangente em 2013, especificamente, testou a alegação de aumento do fluxo sanguíneo com shorts de compressão.

O pesquisador não viu um aumento, mas sim uma diminuição no fluxo sanguíneo para as extremidades inferiores.

Uma revisão de cerca de 30 outros estudos sugeriram que os benefícios propostos foram localizados em esportes que exigem atividades de salto mais explosivas, como basquete, vôlei, e outros esportes do tipo.

Mais um estudo foi publicado no International Journal of Sports Physiology and Performance.

Os pesquisadores testaram 16 corredores de elite masculinos e colocaram-nos em uma série de testes com velocidades crescentes sem tecnologia de compressão.

Eles testaram o grupo novamente, desta vez, usando roupas de compressão.

Como concluíram estudos anteriores, não houve diferença na absorção de oxigênio, eficiência biomecânica ou fluxo sanguíneo no grupo.

Mas então, compensa mesmo?

Os estudos tiveram as mesmas conclusões, então, por que os atletas compram roupas de compressão?

Uma das respostas é a mentalidade.

Isso demonstra a tendência de as pessoas serem influenciadas por outras.

Se sou um corredor e vejo outro tendo uma boa performance e que esteja usando meias de compressão, a tendência é que eu compre também.

O outro motivo pode ser o efeito de placebo.

O efeito placebo, que nada mais é do que toda e qualquer substância sem propriedades farmacológicas, administrada a pessoas ou grupo de pessoas como se tivesse propriedades terapêuticas.

A palavra placebo vem do latim placere, que significa “agradar”.

Se você acha que funciona, talvez isso afete seu desempenho de alguma forma, é aquela história, se você acredita que pode, você está certo, se acredita que não pode, você também está certo.

Uma coisa é verdade, na busca de um atalho para melhores desempenhos, atletas profissionais ou amadores gastarão rios de dinheiro com uma coisa que eles acreditam que possa funcionar.

E o que funciona?

análise de desempenho do atleta

 

 

 

 

 

Marque uma consulta com um especialista e veja como pode de fato, melhorar sua performance.

Ele será a melhor pessoa para te auxiliar, tendo sempre a ciência ao seu lado.

Um abraço e até a próxima!

Dr. Cristiano Miranda

Cardiologista pós-graduado em Medicina Esportiva e Psicologia, e idealizador do programa Cardiocoach para melhora de desempenho esportivo e da qualidade de vida.

 

Artigo adaptado do Running Competitor

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.